Stamatellos FranziniCanaletta Pana

Miguel Franzini

f a m í l i a
Filhos(as) com:
Faustina Paula Costa

Filhos(as):
Marino Miguel Franzini
Sebastiana Maria Franzini
Anna Maria Franzini
Joanna Izabel Franzini
Miguel Franzini
  • Nascimento: 1730, Stª Marina, Ilha de Zante, Moreia, Grecia
  • Casamento: com Faustina Paula Costa
  • Falecimento: 11 Jan 1810, Coimbra, Portugal

    Michele Franzini, conhecido como Miguel Franzini, Conte de Tarmassia, Nobre do Conselho da Ilha de Cefalónia, Moreia, antigo domínio da República de Veneza na Grécia, Feudatário Jurisdicente de Isola della Scala, Verona, Estado de Veneza, Itália, Fidalgo da Casa Real de Portugal, Comendador, Matemático, Lente da Universidade de Coimbra e da Academia Real da Marinha, Professor do Colégio dos Nobres e dos Príncipes D. José e D. João.

    N. e b. em Stª Marina, Ilha de Zante, Moreia, ib., e f. a 11.1.1810 em Coimbra, e de s. m. D. Faustina Paula Costa, n. em Lisboa e b. no Loreto, ib., c/ q. c. a 15.1.1779 nas Mercês, Lisboa (regº no Sacramento, ib.); neto pat. de Stamatellos Franzini e de s. m. Canaletta Pana; neto mat. de Jácome Costa e de s. m. Maria Tomásia.

    Projetou o Jardim Botanico da Ajuda, construido sobre a direçao do Dr. Domingos Vandelli em 1765. (Fonte: https://www.geocaching.com/geocache/GC1588V_wonderland-no-jardim-das-maravilhas-lisboa/ e https://toponimialisboa.wordpress.com/2018/01/04/a-rua-do-jardim-botanico-da-ajuda-o-primeiro-de-lisboa/)

    "Cadeiras - Álgebra (1772), lente; Cálculo (1772), lente; Foronomia (1783-1791), lente. Jubilação - Em 15.6.1791. Publicações – Colaboração em periódicos portugueses (O Panorama, Revista Universal Lisbonense, Jornal das Ciências Médicas de Lisboa, Memórias da Academia Real das Ciências de Lisboa) e outros trabalhos, entre os quais: Roteiro das costas de Portugal ou instruções náuticas para inteligência e uso da carta reduzida da mesma costa, e planos particulares dos seus principais portos (Lisboa, 1812); Observações meteorológicas feitas na cidade de Lisboa no ano de 1817, acompanhada da relação dos mais notáveis sucessos acontecidos em diversas regiões, oferecidas à Academia Real das Ciências (Lisboa, 1818). Observações – Conhecido por Miguel Franzini. Era Doutor em Matemática. Foi incorporado na Universidade por Portaria de 3.10.1772, e na Faculdade de Medicina por Portaria de 9.10.1772. Foi o primeiro lente da cadeira de Cálculo, que foi criada pela Reforma Pombalina. Por ofício de 12.3.1777 (com Provisão), foi autorizado a assistir às congregações da Faculdade de Medicina, como se fosse seu professor. Foi mestre do Príncipe D. José e do Infante D. João (futuro D. João VI). Lente da Aula de Fortificação em Lisboa em 18.1.1780. Comendador da Catedral de Évora na Ordem de Cristo" (Fonte:https://www.uc.pt/org/historia_ciencia_na_uc/autores/FRANZINI_michele)

    "Matemático italiano, natural de Veneza, que veio para Portugal a convite do marquês de Pombal, quando em 1772 se reformou a Universidade de Coimbra. Foi lente da sua faculdade neste estabelecimento cientifico, e por decreto de 9 de outubro foi ordenado, que, assim como outros lentes, recebesse o grau de doutor, e se incorporasse na faculdade de Filosofia. Franzini também exerceu o cargo de professor do príncipe D. José; e de D. João, mais tarde rei D. João VI. Em 1793 obteve permissão para visitar a terra da sua naturalidade, regressando depois a Coimbra. Faleceu em 1810, de idade muito avançada". (Fonte: Portugal - Dicionário Histórico, Corográfico, Heráldico, Biográfico, Bibliográfico, Numismático e Artístico, Volume III, pág. 579.)

    "Outro campo de recepção dos italianos em Lisboa (e no país inteiro) é o da ciência,
    como referíamos na parte preliminar deste estudo. Na época pombalina, a
    reorganização do ensino académico e a abertura do Colégio dos Nobres (situado nos
    estabelecimentos do actual Museu de História Natural e da Ciência, na rua da Escola
    Politécnica, entre a praça do Príncipe Real e o Rato) trazem a Portugal apelidos que
    se tornam parte não só da sociedade lusitana, mas da sua própria genealogia (assim
    como acontece com os artistas): Vandelli, Portelli, Dalla Bella, Franzini, só para
    indicar os mais famosos. O legado genealógico pode-se, por exemplo, identificar-se
    na linhagem de Michele Franzini, que leccionou quer no Colégio dos Nobres, quer na
    Universidade de Coimbra e na Academia Real da Marinha. Seu filho será Marino
    Miguel Franzini, matemático, deputado nas Cortes constituintes de 1821-1822 e
    depois nas ordinárias de 1822-1823. A de Michele Franzini foi uma personalidade ao
    mesmo tempo sociável e inquieta, como ressalta o brasileiro Arlindo Camilo Monteiro
    mediante o estudo da correspondência entre ele e outro cientista italiano, Domenico
    Vandelli58. Mas foi também uma figura muito respeitada e influente, que devido ao
    seu empenho na Faculdade de Matemática viabilizou não só a formação do filho dele,
    mas também a carreira de Marino Miguel na Marinha, na qualidade de oficial da
    Armada. De facto, como explica António Ventura, a Faculdade de Matemática
    (instituída com a reforma pombalina de 1772) "contribuiu para a formação de futuros
    militares, em especial de engenharia e da artilharia. Os estudos ali feitos foram
    considerados equivalentes aos estudos nas academias militares para efeito de
    admissão no corpo de engenheiros"59.
    58 "A breve correspondência do Dr. Miguel Franzini revela fino espírito de inalterável bom humor,
    alimentando nas inexauríveis fontes da cultura clássica, e com que saber, até mesmo nas horas da
    adversidade, como nas da Pátria invadida Itália e subjugada, comentar as figuras transitórias e os
    acontecimentos (…) a pena traça, com espontaneidade aspectos flagrantes, de período agitado das lutas
    e perturbações políticas da Europa e de que Portugal e a Espanha foram cenário sangrento" (ARLINDO
    CAMILO MONTEIRO, Aspectos históricos da vida portuguesa, os Professores Doutores Miguel Franzini e
    Domingos Vandelli da Universidade de Coimbra, através de alguns inquéritos do Arquivo Nacional do
    Brasil, em "Revista do Arquivo Municipal", vol. CXXIV, Abril-Maio 1949, pp. 73-137; citado em MARIA
    FÁTIMA NUNES, O Liberalismo português. Ideários e ciências. O universo de Marino Miguel Franzini [1800-
    1860], Instituto Nacional de Investigação Científica, Lisboa 1988, p. 23)."
    (Fonte: "Pela Nação Italiana, residente em Lisboa": relações luso-italianas e
    elementos de italianidade na capital (segunda metade do século XVIII) de Carmine CASSINO* Universidade de Lisboa em AMMENTU: Bolletino Storico e Archivistico del Mediterraneo e delle Americhe, no. 7 luglio - dicembre 2015, p.160)


  • Generated by GreatFamily 2.2 update 2