Manuel Ferreira FeitalAntónia de AlvarengaJorge de NoronhaInácia Maria Cardoso da Cruz

António Ferreira FeitalLuísa Inácia de Noronha

José Theodoro de Noronha Feital

f a m í l i a
Filhos(as) com:
Maria Antonia Biancardi

Irmãos(ãs):
Ana Isabel de Noronha Feital
Francisca Teresa de Noronha Feital
Jorge Joaquim de Noronha Feital
Manuel de Noronha Feital

Filhos(as):
Maria do Carmo de Noronha Feital
Maria de Noronha Feital
António de Noronha Feital
Maria de Noronha Feital
Maria Inocência de Noronha Feital
Maria Justiniana de Noronha Feital
Maria Teresa de Noronha Feital
Maria Antónia de Noronha Feital
José Joaquim de Noronha Feital
António de Noronha Feital
Francisco de Noronha Feital
Sebastião de Noronha Feital
João Guilherme de Noronha Feital
Maria Helena de Noronha Feital
Maria Vitória de Noronha Feital
José Theodoro de Noronha Feital
  • Nascimento: 1753, S. Paulo, Lisboa
  • Casamento: com Maria Antonia Biancardi
  • Profissão: Escrivão do Juízo da Correição do Cível da Corte
  • Referência(s): Autos de habilitação de D. Ana Isabel de Noronha Feital 1788

    JOSÉ TEODORO DE NORONHA FEITAL - Escrivão do Juízo da Correição do Cível da Corte . N. em 1753 em S. Paulo, Lisboa, e b. a 2.2. ib. (regº a 23.5.1760, ib.) . C. a 29.11.1777 na "Ermida das Casas do Morgado da Alagoa", S. Mamede, ib. (regº nas Mercês, ib.), sendo resid. S. José, ib., c/ MARIA ANTÓNIA BIANCARDI , n., b. e moradora nas Mercês, Lisboa; fª de João Baptista Biancardi (Dr), Músico, resid. Tr. Pombal, S. Isabel, ib., b. na Igrª do Loreto, ib., e f. a 26.7.1802 nos Mártires, ib., e de s.m. D. Maria Teresa de Jesus, b. nos Mártires, ib.; neta mat. de Carlos Sullivan (Solivan) e de s. m. Maria José (Auzé) da Silva, c/ q. c. a 6.8.1758 na Ajuda, ib., moradores em Alcântara, ib.


    6. ANTT, Chancelaria de D. Maria I, Livro 34, fl. 131v


    Dom Jose et cet. Faço saber que Jorge Joaquim de Noronha Feytal filho
    legitimo de Antonio Ferreira Feytal, Proprietario de hum dos offisios de escri-
    vão da Correysão do Civel da Corte, me reprezentou que Eu fora servido
    fazer-lhe mercê da Propriedade do mesmo offisio, em atensão a ter
    o dito seu Pay servido muitos annos com boa satisfasão, Tendo
    empregado todos os bens do seu casal na compra que delle fi-
    zera; que se não tinha emcartado por lhe sobrevir a gravisi-
    ma molestia de huma soporsão nos ouvidos que o imposibili-
    tava de todo o trabalho desta natureza; que por este motivo e pelo
    de não ter filhos, Me pedia que pela Minha Innata Pyedade
    fose servido dar-lhe Lisensa para renunsiar gratuytamente
    o direito que tinha neste offisio, em seu Irmão Jose Theodoro de
    Noronha Feytal, pagos os direitos dos emcartes, dispensando-o
    na Idade, visto ter vinte e dois annos; como mostrava por cer-
    tidão, ser muito habil e capaz de emtrar na serventia do dito offisio
    na comformidade da Ley, à qual elle queria obedeser, vista a sua
    Imposibilidade e serem ambos filhos do mesmo Pay que fora
    Proprietario e que me servia com tanto disvello, e dispendio
    da sua Fazenda, sacraficando a propria vida no Meu Re-
    al Servisso, como hera bem notorio, e se mostrava dos co-
    cumentos que juntava; Ao que Tendo consyderasão e ao que cons-
    tou da Imformasão do Dezembargador Manoel Nicolao Es-
    teves Negrão corregedor do Civel da Corte à Resposta do Pro-
    curador de Minha Real Coroa a quem se deu vista; e ao mais que
    me foy prezente em consulta da Meza do Dezembargo do Paço, Hey
    por bem conseder ao suplicante faculdade para renunsiar a propriedade
    do referido offisio, em seu Irmão Jose Theodoro de Noro-
    nha Feytal dispensando-o na Idade que lhe falta, e pagando
    dois emcartes. Pelo que mando aos Meos Dezembargadores do Paço o exa-
    minem e, sendo apto, lhe fasão passar carta em forma do refe-
    rido offisio, pagando primeiro os direitos ordenados como asima se
    declara; com declarasão que havendo Eu por bem de lho ti-
    rar, ou extinguir em algum tempo, minha Fazenda lhe não será
    por isso obrigada a satisfasão alguma; e esta Provisão se lhe
    cumprirá inteiramente como se nella se conthem que valerá pos-
    to que seu efeyto haja de durar mais de hum anno, sem emb-
    bargo da ordenasão Livro 2º, titulo 40 em contrario. e pagou de novos di-
    reitos trinta réis que forão carregados ao thezoureiro deles no livro 4º de sua
    Receita a folhas 83 e registado no livro 30 do Registo Geral a folhas 314 // El Rey Nosso
    Senhor o mandou por seu espesial mandado pelos Ministros abaixo a-
    sinados do seu Conselho e seos Dezembargadores do Paço. Joaquim Jose da
    Motta Serveira a fes em Lisboa a 15 de Dezembro de mil sete-
    sentos settenta e sinco; de assinaturas oytocentos réis. Bal-
    thazar Antonio Synal de Cordes a fez escrever // Pedro Viegas
    de Novaes // Jose Bycal de Pereira de Castro // Por Rezolusão de Sua
    Magestade de 26 de Março de 1772 tomada em comsulta do Dezembargo do
    Paço // Antonio Jose de AFonseca Lemos// Pagou trinta réis e aos offisiais
    dois mil e cem réis. Lisboa, 2 de Dezembro de 1775 // Dom Sebastião
    Maldonado /
    (ass.:) / Francisco Joseph de Saa ///

    Na margem esquerda:

    Verba
    Em vertude desta Porvizão se passou carta da Propriedade de hum dos offisios de escrivão da correysão do civel da corte a Jose Theodoro de Noronha Feytal Irmão do dito Jorge Joaquim de Noronha Feytal, nele comtheudo por o sobredito Jorze Joaquim de Noronha haver renunsiado o sobredito offisio em seu irmão Jose Theodoro de Noronha Feytal e lhe haver renunsiado em vertude da faculdade que se lhe consedeo, a qual carta fes transito pela chancellaria em vinte e tres de Junho de 1789 e vay registada por Mim neste Livro a folhas 139 de que pus aquy esta verba para constar o referido e pela dita carta asim o requerer. Lisboa, 23 de Junho de 1789.
    (ass.:) / Saa ///

  • Generated by GreatFamily 2.2 update 2